Clique abaixo para entrar diretamente no assunto

Feedjit

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Boleto único mensal - Novo Fies

Segundo informação passada por Paulo Pedrosa,  Diretor de Gestão de Fundos e Benefícios(DIGEF/FNDE), em Webinar realizado pela ABMES(Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior) o estudante pagará um valor de aproximadamente R$ 50,00 pela taxa administrativa* e seguro prestamista**, valores estes que compõem o boleto único mensal, juntamente com o valor de coparticipação(valor não financiado pelo Fies.)
O estudante pagará estas taxas obrigatórias durante todo o tempo de utilização e também na fase de amortização( fase de pagamento).
Estes valores, ao contrário da parcela trimestral de juros, paga nos contratos anteriores a 2018, não abaterá a dívida.

Tomando por base um curso de 4 anos e uma fase de amortização de 12 anos, o estudante pagará em taxas aproximadamente R$ 9.600,00.

*Taxa administrativa: taxa paga ao agente financeiro para gerenciar os contratos do Fies.
**Seguro prestamista: Seguro que cobrirá, em caso de morte ou invalidez permanente do estudante, o valor da dívida com o Fies.

domingo, 14 de janeiro de 2018

Fies Modalidade I - Fies I


Com a aprovação no congresso nacional da Medida Provisória do Fies foram instituídas 3(três) modalidades para o Fies  ao invés da única existente até então:

-Fies I -  Para estudantes com renda familiar de até 3 salários mínimos per capita- Sucessor do modelo vigente desde o início do Fies em 1999.

-Fies II- Para estudantes com renda familiar de até 5 salários mínimos per capita- Possui como fonte de recurso os fundos constitucionais do Norte, Nordeste e Centro-Oeste e é limitado às áreas que compões essas regiões.Os campus das Instituições de Ensino superior tem de estar localizado nestas regiões.

Fies III-  Para estudantes com renda familiar de até 5 salários mínimos per capita. Possui como fonte de recurso o BNDES e recursos próprios dos agentes financeiros.

Trataremos nesta postagem sobre os aspectos do Fies modalidade I, o Fies I.
Como já enfatizado anteriormente, é o sucessor do modelo atual, mas devido às mudanças é quase um novo programa.
Vejamos nos quadros as diferenças entre o Fies atual e o FIES I:
Quadro comparativo I
Comentários adicionais sobre o quadro I:
1- Sem aporte publico adicional ao valor de 3 bilhões previstos, dificilmente o Fies I terá continuidade.
2- As taxas de gastos operacionais e seguro prestamista tornarão o Novo Fies bem mais caro do que o anterior. Mesmo que o valor seja simbólico, como R$ 20,00 por exemplo,isso significará 2% em uma liberação de R$ 1000, 00 por mês.

Quadro comparativo II:

Conclusão:
*CET: O que é Custo Efetivo Total (CET) de uma operação?
Custo Efetivo Total (CET) é a taxa que considera todos os encargos e despesas incidentes nas operações de crédito e de arrendamento mercantil financeiro, contratadas ou ofertadas a pessoas físicas, microempresas ou empresas de pequeno porte.
O principal custo da operação de crédito é a taxa de juros cobrada pela instituição financeira. No entanto, quando são acrescidos os tributos, tarifas, seguros, custos relacionados a registro de contrato e outras despesas cobradas na operação, a taxa real da operação aumenta. A essa taxa – calculada levando-se em consideração todos os custos incluídos na operação de crédito – damos o nome de Custo Efetivo Total (CET).
Em outras palavras, ao compararmos operações de crédito ofertadas por duas instituições financeiras, aquela que apresenta uma taxa de juros mais baixa pode não ser a mais vantajosa para a consumidor, quando considerados todos os outros custos envolvidos.
(Fonte: Banco Central do Brasil)


segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

Novo Fies é regulamentado. Veja como ficará para novos contratos


Essa é uma nova postagem, de uma série,  sobre o Novo Fies,onde abordaremos as mudanças no programa. No dia  29/12/2017 foram publicadas, no Diário Oficial da União, normas que regulamentam as mudanças  que valerão para novos contratos, a partir de 2018. 
Importante: as mudanças só valem para os contratos novos, para os atuais nada muda.

As inscrições para o Novo Fies serão de 06 a 09 de Fevereiro de 2018.

Nesta postagem iremos enfatizar as três modalidades criadas, ao invés da única atual.
Primeiramente apresentaremos um quadro comparativo entre as modalidades:

Agora as características de cada modalidade. A primeira mantém o modelo atual.


A segunda modalidade faz parte de um novo modelo chamado de P-Fies(Programa do Fies), por ser totalmente diferente do modelo atual.
Veja as principais características:

A terceira modalidade também faz parte do novo modelo chamado de P-Fies(Programa do Fies).


sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Impacto da nova lei do fies para contratos assinados até o 2º semestre de 2017


Começaremos a analisar as mudanças e os impactos da nova lei do Fies, que foi aprovada pelo congresso (MP 785/2017), em relação aos contratos atuais e os contratos a serem concedidos a partir de 2018.
Neste post iremos analisar o que afeta ou poderá afetar os contratos de quem já possui ou irá assinar o contrato referente a este 2º semestre de 2017.
A mudanças nas regras afetará, quase que exclusivamente, os contratos a serem assinados referente aos semestres a partir de 2018.
Veja o quadro:
*O Comitê Gestor( CG-Fies) será o responsável por estabelecer diretrizes e planejamento do Fies de agora em diante. E isso poderá afetar a todos os contratos. Será responsável, por exemplo, por definir o valor máximo de financiamento por semestre, além de regras para renegociação e outras regras não definidas contratualmente.
Além disso, o CG-Fies poderá propor a mudança de todos os contratos para o "Novo Fies", de acordo com determinadas condições a serem definidas.



segunda-feira, 31 de julho de 2017

Orientações para o estudante após o resultado do Fies

Passamos nesta postagem algumas orientações sobre a conclusão da inscrição do Fies.  O estudante pode seguir as dicas para evitar problemas na conclusão da inscrição e nos procedimentos a serem seguidos após ser pré-selecionado.
Basta clicar nos links( em laranja) para ser direcionado para a orientação.

ANTES DE SER PRÉ-SELECIONADO:
Para saber como acompanhar o resultado da inscrição, clique Aqui



DEPOIS DE SER PRÉ-SELECIONADO:
Veja aqui como fazer para finalizar a inscrição do Fies
Clique Aqui



APÓS SER PRÉ-SELECIONADO VEJA O QUE FAZER  NA FACULDADE

Estudante não precisa ter feito vestibular nem estar matriculado para conseguir o Fies.

O que é CPSA?

Para  saber qual a documentação que deve levar  para a CPSA da faculdade

Errei alguns dados ao fazer a inscrição, posso alterar?
Sim. Enquanto não for gerado o DRI (Documento de Regularidade de Inscrição) a CPSA da faculdade pode reabrir a inscrição para correção.



PROCEDIMENTOS NO BANCO

Quer saber qual documentação deve levar ao banco?

  
Posso mudar o tipo de garantia no banco?
Sim. Entre fiança tradicional e fiança solidária. Não é possível mudar para fundo garantidor.
Para saber se tem direito ao fundo garantidor(FGEDUC) clique aqui

ESTUDANTES DA LISTA DE ESPERA 

Tem de consultar o resultado diariamente e verificar a sua situação.
Caso sejam selecionados, deverão acessar o Sisfies, no endereço eletrônico 
http://sisfiesportal.mec.gov.br, e concluir sua inscrição para contratação do financiamento no prazo de 5 (cinco) dias úteis, a contar da divulgação de sua pré-seleção no FiesSeleção.
É de inteira responsabilidade do estudante acompanhar o resultado. Caso perca o prazo será desclassificado.




domingo, 16 de julho de 2017

Novo Fies: Juro zero não quer dizer Fies sem juros. Muito pelo contrário!


Iniciaremos uma série de postagens sobre as novas regras do Fies anunciadas no último dia 06 de Julho. Durante todo o anúncio e posteriormente,  quando foram entrevistados o  ministro da Educação Mendonça Filho e um técnico  do ministério, houve pouco questionamento a respeito das novas regras e sobre o que efetivamente elas alterariam em referência ao modelo atual.

O primeiro ponto que abordaremos é o chamado Juro Zero.
Você que compra um celular que custa R$ 1000,00 parcelado em 10 parcelas de R$ 100,00.
Isso quer dizer que você pagou o celular em 10 parcelas sem juros.

O novo Fies não será assim. Ele será corrigido pela inflação oficial.
Ainda não foi definido qual será a periodicidade dessa correção. Se mensal, trimestral, semestral ou anual.
Tudo deverá ser definido pelo CG-Fies( Comitê Gestor do Fies)  que será constituído por integrantes dos Ministérios do Planejamento, da Fazenda e da Educação, do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e das universidades privadas.

Segundo o assessor do Ministério do Planejamento Arnaldo Lima Junior, a ideia é ter incentivo de migração do modelo antigo para o novo a partir da possibilidade de até reduzir a taxa de juros desses contratos, para que esses alunos tenham essa modalidade de pagamento vinculada à renda. Is é importante para sanar o Fies".
Pode ser uma boa?
Vejamos abaixo o gráfico comparativo Inflação X juros do Fies.
Note que em relação ao juro de 3,4% ao ano, que corrige os contratos assinados até o 1º semestre de 2015, que representam atualmente mais de 80% de todos os contratos, a inflação é sempre maior, ou seja, o juro atual  é NEGATIVO.
Então somente por esse fator, para todos os contratos assinados até o 1º semestre de 2015, não há nenhuma vantagem nessa migração.

E para os outros contratos, assinados a partir de 2º semestre de 2015 até o 2º semestre de 2017
(a regra sobre a correção pela inflação somente será obrigatória a partir dos contratos assinados referente ao 1º semestre de 2018). Será um bom negócio?
Baseado na inflação dos últimos 10 anos, para esses contratos, que tem a taxa de 6, 5% ao ano, pode ser que o estudante pague menos juro. Somente em um ano dos últimos dez a inflação esteve acima dos 6, 5%.
Mas o que aconteceu no passado não é garantia de que isso acontecerá no futuro.
Ficaria à mercê das políticas econômicas dos próximos presidentes , além das crises econômicas brasileiras ou mundiais, que poderão ou não acontecer, até o final do seu contrato.
Além disso, muito provavelmente o estudante terá de se sujeitar a outras condições para poder migrar.


O bom então é aguardar e verificar as regras para essa transição, e como poderá ser feita.

Mas, definitivamente: Juro zero não quer dizer Fies sem juros!





quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Estudante não precisa ter feito vestibular nem estar matriculado para pleitear o Fies

É necessário ter passado no vestibular ou estar matriculado na faculdade para pleitear o Fies ?
Não. Definitivamente não é necessário.
Vamos demonstrar, de acordo com a portaria 10 de 30 de Abril de 2010, que regulamenta todos processos seletivos e também do Edital 8 de 27 de Janeiro de 2017, que regulamenta especificamente o processo do 1º/2017,  e refutar todos os argumentos de ALGUMAS  faculdades que insistem em exigir que o estudante tenha participado de processo seletivo próprio da faculdade, que esteja matriculado na  faculdade ou que pague a matrícula e mensalidades antes de concluir a contratação do Fies

1) Primeiro nhem nhem nhem da faculdade:
Mas para participar do Fies é necessário que o estudante esteja regularmente matriculado? Vamos à portaria:
Note os itens que estão marcados em vermelho:

Realmente a portaria exige que o estudante selecionado esteja "Regularmente matriculado", de acordo com o artigo 1º. Mas o que o MEC considera como "regularmente matriculado?
Somente o que especifica nos incisos I e II do parágrafo 2º:
I- Com matrícula  trancada.
II- Com matrícula em qual não tenha sido formada turma. 


2) Segundo nhem nhem nhem da faculdade:
Mas para que possa fazer o Fies é obrigatório ter feito o nosso vestibular.
Vejamos o que diz essa mesma portaria em seu parágrafo 6º:



Com isso não resta nenhuma dúvida de que não é necessário participar de processo seletivo próprio da faculdade.
Somente é necessário que tenham feito o ENEM , a partir do ano de 2010, e que tenham nota mínima de 450 pontos e não terem zerado a redação. Caso o estudante tenha feito mais de um ENEM, o sistema automaticamente buscará a nota mais alta no momento da inscrição.
A nota do ENEM  é o único item de classificação: Maior nota, maior chance de conseguir a vaga.

Ainda não estão convencidos?
Mostre para  eles  as disposições transitórias do Edital 8 que regulamente o processo seletivo do 1º semestre de 2017:
Além de , no edital estar explícito em seu item 5.1.4 que independe de ter participado do processo seletivo, no itens 5.1.1 ainda afirma que: " nos casos em que a matrícula do CANDIDATO pré-selecionado for incompatível com o período letivo da IES, o que pode resultar em sua reprovação por faltas..."
Está configurada a questão de CANDIDATO. Além disso, na continuidade desse item, posterga, mas somente no caso de período incompatível, e exige que a comissão da faculdade registre a inscrição para
o 2º semestre.
Não tem mais nenhum argumento que refute essa tese, não?
   

3) Chegamos ao terceiro nhem nhem nhem da faculdade:
Ah, tudo bem, mas para liberar o documento para a contratação do Fies você tem de pagar a matrícula
Não é necessário!
Veja o que diz o artigo 2ºA da mesma portaria 10:
Bem explicadinho não? Só pode exigir o pagamento, e sem multa, caso o estudante não consiga concluir o Fies. Ou seja, caso o estudante não consiga o Fies.


Faça o download das portarias nos links abaixo para que eles não tenham nenhum argumento para recusar a sua inscrição ou lhe fazer cobrança indevida.
É preciso mais compreensão e menos nhem nhem nhem, né?

Ad sense